Biografia de Rudolf Steiner

Clique aqui para comentar esta publicação





Rudolf Steiner (Kraljevec, fronteira austro-húngara, 27 de Fevereiro de 1861 — Dornach, Suíça, 30 de Março de 1925) foi filósofo, educador, artista e esoterista. Foi fundador da Antroposofia, da Pedagogia Waldorf, da agricultura biodinâmica, da medicina antroposófica e da Euritimia, está última criada em conjunto com a colaboração de sua esposa, [[Marie Steiner-von Sivers


Após terminar os estudos dedicou-se a partir de 1883 a editar as obras científicas de Johann Wolfgang von Goethe. Tornou-se profundo conhecedor da obra de Goethe, escrevendo inúmeras obras sobre este, dedicando-se à explicação do pensamento do autor alemão. Ao mesmo tempo escrevia sobre assuntos filosóficos.

Após um período de vivência em Berlim, Alemanha, no qual sobreviveu como escritor de uma revista literária, Steiner ininterruptamente aderiu a uma trajetória de conferencista e escritor, desenvolvendo a Ciência Espiritual Antroposófica, ou Antroposofia. Inicialmente a expôs ligado à Sociedade Teosófica e, desligado desta, no que fundou sob o nome de Sociedade Antroposófica.

Em Dornach construíram a sede da Sociedade Antroposófica, denominada Goetheanum onde está atualmente a Escola Superior Livre de Ciência Espiritual. O primeiro Goetheanum foi destruído por um incêndio em 1922. Foi reconstruído e tem participação importante na obra de Steiner como um grande centro de contribuições para os campos do Conhecimento Humano. Steiner, entre outras obras, dedicou-se principalmente aos campos da Organização Social, Agricultura, Arquitetura, Medicina, e Pedagogia; também Farmacologia e no tratamento de crianças com a Síndrome de Down, dentro da Pedagogia Curativa.

Oferecendo alternativas além das condições materiais de soluções de todos os problemas dos quais tratou, Steiner obteve reconhecimento mundial. Em todos os continentes surgiram centros de atividades antroposóficas como desdobramentos práticos da Ciência Espiritual por ele desenvolvida.
Ciência Espiritual

Pode-se resumir a Antroposofia de Steiner como um modo de alcance de um conhecimento supra-sensível da realidade do mundo e do destino humano. Mas, o conteúdo desse resumo é complexo e remete a um estudo de extremas profundidade e disciplina, aliadas a um método de exercícios metódicos precisos, com o intuito de revelar no homem o divino que neste reside adormecido. A Antroposofia, o corpo de conceitos derivados da Ciência Espiritual, coloca o Antrophós (Homem) como participante efetivo do mundo espiritual através de seus corpos superiores, tornando assim evidente no mesmo o conceito do Theós (Deus).

A Ciência Espiritual é o meio de experiência consciente direta com o mundo espiritual, não se tratando, portanto, de uma forma de misticismo. É denominada ciência pois seus resultados podem ser verificados por qualquer um que se dispuser a se preparar neste sentido por meio do trabalho interior. Trata-se, por isso, de um conhecimento exato possível de ser acessado pelo pensar, desde que ele seja desenvolvido para tal pelo trabalho diário (exercício de concentração, revisão da memória, ação pura, percepção pura, etc).

Obras

* A Arte Da Educação
* A Ciência Oculta
* A Direção Espiritual Do Homem E Da Humanidade
* A Educação Da Criança Segundo A Ciência Espiritual
* A Educação Prática Do Pensamento
* A Filosofia Da Liberdade
* A Fisiologia Oculta
* A Missão Das Almas Dos Povos
* A Moral Teosófica
* Andar, Falar, Pensar
* A Obra Científica De Goethe
* Causas Espirituais Do Conflito Entre Gerações
* Como Atua O Carma
* Como Superar A Necessidade Anímica De Nossa Época?
* Linhas Básicas Para Uma Teoria Do Conhecimento Na Cosmovisão De Goethe
* O Conhecimento Dos Mundos Superiores
* O Conhecimento Iniciático
* O Cristianismo Como Fato Místico
* O Evangelho Segundo João
* O Evangelho Segundo Lucas
* O Evangelho Segundo Mateus
* O Futuro Social
* O Pai Nosso
* Qual É A Atividade Do Anjo Em Nosso Corpo Astral?
* Teosofia - Introdução Ao Conhecimento Supra-Sensível Do Mundo E Do Destino Humano
* Verdade E Ciência


Antroposofia

Princípio da imparcialidade
Este artigo ou secção possui passagens que não respeitam o princípio da imparcialidade.
Tenha algum cuidado ao ler as informações contidas nele. Se puder, tente tornar o artigo mais imparcial.


Também chamada de "ciência espiritual" , a Antroposofia ("conhecimento do ser humano") é uma filosofia e uma prática que foi erigida por Rudolf Steiner. Ele a apresenta como um caminho para se trilhar em busca da verdade que preenche o abismo historicamente criado desde a escolástica entre fé e ciência. Na visão de Steiner a realidade surge no encontro dos mundos da idéia e da percepção.

Steiner coloca que, ao se pensar sobre o pensar começamos a fazer acesso a uma consciência diferente da cotidiana. A primeira experiência que podemos ter de um conceito que não encontra correspondente nas percepções do mundo é a vivência do próprio Eu. É a primeira instância de uma experiência no puro pensar. A partir daí muito mais pode ser vivenciado no puro pensar, vários conceitos que não encontram correspondentes em percepções físicas, mas para isso Steiner diz ser necessário ampliar nossa a capacidade de nossa consciência e apresenta exercícios para tal.

A base epistemológica da antroposofia está contida na obra A Filosofia da Liberdade, assim como em sua tese de doutorado, Verdade e ciência. Estes e vários outros livros de Steiner anteciparam a gradual superação do idealismo cartesiano e do subjetivismo kantiano da filosofia do século XX. Assim como Edmund Husserl e Ortega y Gasset, Steiner foi profundamente influenciado pelos trabalhos de Franz Brentano, e havia lido Wilhelm Dilthey em detalhe. Por meio de seus primeiros livros, de cunho epistemológico e filosófico, Steiner tornou-se um dos primeiros filósofos europeus a superar a ruptura entre sujeito e objeto que Descartes, a física clássica, e várias forças históricas complexas gravaram na mente humana ao longo de vários séculos.

Steiner definiu a antroposofia como "um caminho de conhecimento para guiar o espiritual do ser humano ao espiritual do universo." O objetivo do antropósofo é tornar-se "mais humano", ao aumentar sua consciência e deliberar sobre seus pensamentos e ações; ou seja, tornar-se um ser "espiritualmente livre".

Steiner ministrou vários ciclos de palestras para médicos, a partir dos quais surgiu um movimento de medicina antroposófica que se espalhou pelo mundo e agora inclui milhares de médicos, psicólogos e terapeutas, e que possui seus próprios hospitais e universidades médicas. Outras vertentes práticas da antroposofia incluem: a arquitetura orgânica (a sede da Sociedade Antroposófica Geral, o Goetheanum, em Dornach, Suíça, é uma amostra dessa arquitetura), a agricultura biodinâmica, a educação infantil e juvenil (pedagogia Waldorf), a farmácia antroposófica, que é uma extensão da homeopática (Wala, Weleda, Sirimim), a nova arte da euritmia ("o movimento como verbo e som visíveis"), e a pedagogia curativa e terapêutica social, em que se destacam os centros denominados Vilas Camphill. O site da Sociedade Antroposófica no Brasil contém inúmeros detalhes sobre todas essas e outras aplicações práticas da Antroposofia.

A obra completa de Steiner, toda publicada, contém cerca de 350 volumes com seus livros e ciclos com as mais de 6.000 palestras que foram estenografadas.

A antroposofia possui seus detratores. Os críticos designaram-na como um culto com similaridades em relação aos movimentos da Nova Era. Não existe culto dentro da Antroposofia mas, mesmo se existisse, seria um que fortemente enfatiza a liberdade individual. Ainda, alguns críticos sustentam que os antropósofos tendem a elevar as opiniões pessoais de Steiner, muitas das quais são estranhas às visões das religiões ortodoxas, da ciência e das humanidades, ao nível de verdades absolutas. Se existe alguma verdade nesta crítica, a maior parte da culpa pertence não a Steiner, mas a seus seguidores. Steiner freqüentemente estimulou seus seguidores a testarem tudo o que ele dizia, e em muitas ocasiões, até mesmo escreveu e implorou a eles que não tomassem nada do que dissesse com base na fé ou autoridade.

Outra crítica afirma que alguns antropósofos parecem distanciar suas atividades públicas da possível inferência de que a antroposofia é baseada sobre elementos esotéricos religiosos, tendendo a apresentá-los ao público como uma filosofia acadêmica não-sectária. Uma dificuldade em avaliar essa crítica é que ela contém um preconceito oculto porque ignora uma questão que a antroposofia procurou levantar e responder: é possível, para aquele que pensa, ser ao mesmo tempo tanto cientificamente quanto espiritualmente cognitivo? A antroposofia afirma que isso é possível. A crítica supramencionada, por outro lado, assume que isso não é possível e, portanto, encontra uma contradição entre a afirmação de um não-sectarismo e um embasamento na experiência supra-sensível.


Extraído de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Antroposofia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Rudolf_Steiner#Ci.C3.AAncia_Espiritual
***
Nota: Os títulos dos livros de R.Steiner foram traduzidos a partir dos títulos originais em alemão, podendo não coincidir com títulos das edições em português. Para localizá-los, use o número GA (Gesamtausgabe, catálogo geral).
1861 Nascimento em 27/02, em Donji Kraljevec (Baixo Kralevec – acione o vínculo Rudolf Steiner no topo direito dessa página), na região chamada Medjimurje, Croácia, entre a Hungria e a Slovênia (*), filho de um funcionário da estrada de ferro. Pais vieram da Áustria. Infância e juventude em várias cidades da Áustria.
1872-1879 Ginásio e colégio em Wiener-Neustadt (perto de Viena).
1875-1889 Atividade de professor particular, muitas vezes para seus próprios colegas de classe, especialmente em matemática e ciências.
1879-1883 Estudos de graduação na Escola Politécnica de Viena (Wiener Technische Hoschschule). Estudo profundo de Goethe.
1882-1897 Editor das obras científicas de Goethe para a edição "Deutsche National Literatur" de J.Kürschner. Os 5 volumes estão no GA 1a-e. Veja o artigo "O Pensamento Científico de Goethe".
1884-1890 Professor particular dos 4 filhos de uma família de Viena, principalmente de um que era hidrocéfalo, e que mal sabia ler; consegue ajudá-lo a ponto de ele terminar seus estudos, ingressar e formar-se médico, tendo morrido na 1a. Guerra Mundial.
1886 Atividade na edição "Duquesa Sophia" das obras completas de Goethe. Publicação de Linhas básicas de uma teoria de conhecimento de Goethe com especial atenção para Schiller (GA 2)
1888 Editor da Revista Alemã (Deutsche Wochenschrift), em Viena (GA 31). Palestra no Insituto Goethe de Viena: "Goethe como pai de uma nova estética" (em GA 30).
1890-1897 Colaborador do Arquivo Schiller-Goethe em Weimar. Edição das obras científicas de Goethe.
1891 Doutorado em Filosofia na Universidade de Rostock, Alemanha. Publicação da tese ampliada: Verdade e Ciência – Prelúdio para uma Filosofia da Liberdade (GA 3).
1894 Encontro com Haeckel; início de correspondência com ele (GA 38). Publicação do que considerou sua obra mais importante, e a que iria durar: A Filosofia da Liberdade (GA 4).
1895 Publicação de Friedriech Nitzsche, um lutador contra seu tempo (GA 5).
1897 Mudou-se para Berlim, onde foi o editor (até 1900) da Revista de Literatura (Magazin für Literatur, em GA 31), onde coloca-se decisivamente contra o anti-semitismo, e da Folha Teatral (Dramaturgische Blätter) com O.E.Hartleben (GA 29-32). Atividades na Sociedade Dramatical Livre (Freie dramatischen Gesellschaft), na Liga Giordano Bruno, e em outras. Publicação de A Cosmovisão de Goethe (GA 6).
1899-1904 Professor na Escola de Formação para Trabalhadores (Arbeiter-Bildungsschule) de Berlim, fundada por W. Liebeknecht.
1900 Início da atividade de conferencista sobre temas antroposóficos por convite da Sociedade Teosófica em Berlim; em suas palestras no âmbito da Sociedade Teosófica transmite apenas os resultados de suas próprias pesquisas esotéricas. Publicação de Concepções de vida e de mundo no séc. XIX, amplida em 1914 para Enigmas da filosofia em sua história, apresentada como esboço (GA 18)
1901 Publicação de A mística no início da vida espiritual dos novos tempos, e sua relação com a cosmovisao moderna (GA 7)
1902 Assume a Secretaria Geral da Sociedade Teosófica Alemã. No mesmo dia, dá uma palestra com o título "Uma Antroposofia". Publicação de O cristianismo como fato místico e os mistérios da antiguidade (GA 8)
1902-1912 Intensa atividade de conferencista em Berlim e em toda a Europa, estabelecendo as bases da Antroposofia. Marie von Sievers torna-se sua constante colaboradora.
1903 Fundação da revista Luzifer, posteriormente Luzifer-Gnosis (GA 10-12, 34).
1904 Publicação de Teosofia – Introdução ao conhecimento supra-sensível e ao destino do ser humano (GA 9)
1905 Primeiros escritos sobre organização social trimembrada (GA 34). Publicação de Como se adquirem conhecimentos dos mundos superiores (GA 10), Crônica do Akasha (GA 11) e Os passos do conhecimento superior (GA 12)
1906 Encontro com Edoudard Schuré; Marie von Sievers havia se encarregado da tradução das obras deste.
1907 Organiza o congresso mundial da Sociedade Teosófica, em Munique, onde introduz pela primeira vez atividades artísticas.
1910 Publicação de A ciência oculta, um esboço (GA 13)
1910-1913 Os seus 4 Dramas de Mistério são encenados pela primeira vez, um em cada ano, em Munique (GA 14).
1911 Publicação de A direção espiritual do ser humano e da humanidade (GA 15).
1912 Introdução das novas artes de expressão corporal, a Euritmia (GA 277a), e da Arte da Fala (GA 281). Publicação de Um caminho para o auto-conhecimento do ser humano, em 8 meditações (GA 16) e doCalendário da Alma (em GA 40).
1913 Separação da Sociedade Teosófica e fundação da Sociedade Antroposófica. Publicação de O limiar do mundo espiritual (GA 17).
1913-1923 Construção do 1o. Goetheanum em Dornach, Suíça, uma verdadeira obra de arte em madeira. Várias construções em Dornach com projeto seu.
1914 Casamento com Marie von Sievers (daí por diante Marie Steiner). Publicação de Enigmas da filosofia em sua história, apresentada como esboço (GA 18).
1914-1924 Em palestras em Dornach, Berlim e em muitas cidades em toda a Europa, dá as indicações para uma renovação em muitas áreas da atividade humana: arte, pedagogia, ciências, vida social, medicina, farmacêutica, terapias, agricultura, arquitetura, teologia.
1916 Publicação de Sobre os enigmas dos seres humanos (GA 20).
1917 Publicação de Sobre os enigmas da alma (GA 21).
1918 Publicação de A espiritualidade de Goethe em sua manifestação no "Fausto" e no seu "Conto da cobra verde e do lírio branco"
1919 Intensa atividade de escritor e conferencista, principalmente no sul da Alemanha, sobre suas idéias de organização social, a Trimembração do Organismo Social, com a publicação de Os pontos centrais da questão social (GA 23), artigos no GA 24 e palestras nos GAs 328-341. No outono europeu, fundação da Escola Livre Waldorf (Freie Waldorfschule) em Stuttgart (GA 293-295), dirigida por ele até sua morte; essa escola existe até hoje, na Haussmanstrasse.
1920 Primeiro curso para médicos (Ciência espiritual e medicina, GA 312), iniciando a aplicação no que viria a se tornar a Medicina Antroposófica.
1921 Fundação do semanário Das Goetheanum, com suas contribuições regulares (GA 36, 260a). Essa publicação, em forma de tabloide, continua a ser editada até hoje. Fundação da primeira clínica Antroposófica, em Arlesheim, Suíça, por Ita Wegman, existente até hoje (Ita Wegman Klinik).
1922 Fundação do movimento de renovação religiosa Comunidade de Cristãos, por sacerdotes sob sua orientação. Publicação de Cosmologia, religião e filosofia (GA 25). Na noite da passagem para o ano 1923 o Gotheanum é incendiado criminosamente. No dia seguinte, continua suas palestras na marcenaria anexa.
1923 Início do projeto e confecção de modelos para o 2o. Goetheanum , que iria ser construído depois de sua morte, agora em concreto aparente. No Congresso de Natal, fundação da nova Sociedade Antroposófica Geral ("Allgemeine Anthroposophische Gesellschaft"), agora sob sua direção.
1923-1925 Escreve semanalmente sua autobiografia Minha vida (GA 28), que ficaria inconcluída (cobre sua vida até 1907). Colaboração com a Dra. Ita Wegman no livro sobre medicina antroposófica, Fundamentos para uma ampliação da arte médica segundo os conhecimentos da ciência espiritual (GA 27), único livro seu em co-autoria.
1924 Curso sobre agricultura em Koberwitz (Fundamentos da Agricultura Biodinâmica – vida nova para a terra,GA 327), dando origem à agricultura biodinâmica. Curso sobre Pedagogia Curativa (GA 317), dando origem a esse ramo de aplicação da Antroposofia. Depois de intensa atividade de palestras e cursos nos últimos anos, e uma última em 28/09 para os membros da Sociedade, início da doença fatal.
1925 Morte em Dornach em 30/03. Toda sua obra foi publicada, incluindo seus livros e cerca de 6.000 palestras, compreendendo mais de 350 volumes.

(*) A informação sobre o local exato de nascimento de Steiner foi fornecida por Mario [email protected], a quem agradecemos.
Vínculos
****


LEIA A POSTAGEM NO GRUPO: Kyrios Dei - Kyrios Christos
'Michael, Arthur e o Graal [Sempre que Michael envia seus impulsos à evolução humana terrena ele é o portador de forças solares, das forças espirituais do Sol]'
Porém, antes que o Mistério ligado ao Cristo possa revelar-se à alma, a humanidade precisa estar suficientemente madura.

CLIQUE
AQUI PARA ACESSAR

A PÁGINA


****

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário